• Clarissa de Souza Guerra

A ruptura do metabolismo social-natural: a atualidade da teoria marxista

A teoria da falha ou ruptura metabólica foi abordado, originariamente, por John Bellamy Foster (2005) a partir do construto teórico de Karl Marx que afirma que essa ruptura surgiu de uma “falha irreparável” no metabolismo, isto é, no processo entre o homem e a natureza e entre a cidade e o campo.


Essa teoria antecipou, conforme Foster (2005, p. 201, 202) boa parte do pensamento ecológico de hoje, a partir do desenvolvimento de uma crítica da degradação ambientalista. É um dos aspectos que evidenciam o caráter ecológico da teoria marxista.


Importa ressaltar que Vanessa de Castro Rosa (2019), pesquisadora brasileira, afirma que a forma com a qual os seres humanos se organizam em sociedade é determinante da forma como eles “impactam, transformam e se apropriam da natureza”. E, por isso, o conceito de metabolismo pode ser tido como a base para a compreensão da ecologia política, num cenário em que a produção capitalista desvirtua o metabolismo entre homem e terra (ROSA, 2019, p. 45).


Logo, não se pode ignorar a atualidade e a importância da teoria marxista para a compreensão da crise ambiental, especialmente, ao se considerar a incompatibilidade entre o sistema capitalista e a sustentabilidade, em suas múltiplas dimensões.


Referências:


DALLA RIVA, Leura. De Marx ao MST: capitalismo financeirizado e forma jurídica como entraves à agroecologia. 112f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Programa de Pós-Graduação em Direito, 2020.


FOSTER, John Bellamy. A Ecologia de Marx: materialismo e natureza. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.


GUERRA, Clarissa de Souza Guerra. Soberania Alimentar no Brasil: Limites econômicos (geo) políticos e jurídicos nos marcos do capitalismo periférico. 85f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Programa de Pós-Graduação em Direito, 2020.


ROSA, Vanessa de Castro. De Marx a Altieri: os limites do balizamento jurídico para a produção agroecológica nos marcos do capitalismo. 2019. 250f. Tese (Doutorado Político e Econômico) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2019. Disponível em: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/4067/5/Vanessa%20de%20Castro%20Rosa.pdf. Acesso em: 07 abr. 2020.

11 visualizações

Posts recentes

Ver tudo