• Equipe Metabolic Rift

DESTAQUES DA SEMANA: maio 1

Dentre os fatos dessa semana, destacamos:


1. Agrotóxicos são lançados de avião sobre crianças e comunidades em disputa por terra. Segundo MST: "Criança de 7 anos ficou com feridas abertas pelo corpo após levar banho de agrotóxico. Moradores de comunidades rurais no Maranhão e Pará gravaram o momento em que os aviões jogam pesticidas sobre suas casas em áreas disputadas com grandes fazendeiros". Leia mais aqui



Ainda segundo MST, os fazendeiros da Fazenda São Bernardo, Belém e Brejão foram multados (em R$ 273 mil) pela SEMA (secretaria de Estado de Meio Ambiente) do Maranhão em razão da pulverização de agrotóxicos que atingiu as crianças, já que não possuem licenciamento ambiental para atividade na área.


2. Descoberta de fóssil de 1 bilhão de anos traz nova teoria sobre evolução. Segundo CNN Brasil, a descoberta ocorreu na Escócia por cientistas da Universidade de Sheffield (Reino Unido) e do Boston College (EUA). O microfóssil de 1 bilhão de anos que pode ser o animal multicelular mais antigo já registrado. A descoberta foi publicada pela revista Current Biology e revela uma nova teoria para a evolução das espécies, pois, segundo explicação de Charles Wellman, coautor do estudo e professor da Universidade de Sheffield para a matéria da CNN:


"A descoberta deste novo fóssil nos sugere que a evolução dos animais multicelulares ocorreu há pelo menos 1 bilhão de anos e que os primeiros eventos anteriores à evolução dos animais podem ter ocorrido em água doce como lagos, e não no oceano”



3. Cientistas descobrem forma sustentável (e eficaz) de remover microplásticos do meio ambiente. Segundo o jornal The Guardian uma equipa de microbiologistas descobriu uma maneira sustentável de remover microplásticos poluentes do meio ambiente usando bactérias. Segundo a reportagem:


As bactérias tendem naturalmente a se agrupar e aderir às superfícies, e isso cria uma substância adesiva chamada “biofilme” - vemos isso todas as manhãs ao escovar os dentes e remover a placa dentária, por exemplo. Pesquisadores da Universidade Politécnica de Hong Kong (PolyU) querem usar essa propriedade de bactéria pegajosa e criar redes de micróbios semelhantes a fitas que podem capturar microplásticos em água poluída para formar uma bolha facilmente descartável e reciclável. Saiba mais aqui


4. Santa Catarina não tem estudos sobre impactos da alta de mortes no meio ambiente. Ainda segundo a matéria, "Especialistas alertam que líquido do processo de decomposição humana pode contaminar solo e lençóis freáticos; Estado não tem estudo ou fiscaliza cemitérios contra impactos". Em 2020, 46.157 pessoas morreram em Santa Catarina e o estado ainda não havia enfrentado o ápice da pandemia que ocorreu em 2021. Um recorte realizado neste ano (dados contabilizam até às 17h20 de 30 de abril de 2021) demonstram que

Logicamente, a lotação de cemitérios é um problema decorrente desses dados e, com ela, a contaminação de solos e lençóis freáticos pelo necrochorume. Saiba mais aqui.



Fontes:


https://mst.org.br/2021/05/04/agrotoxicos-sao-lancados-de-aviao-sobre-criancas-e-comunidades-em-disputa-por-terra/


https://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/reporter-brasil/2021/05/04/agrotoxicos-sao-lancados-de-aviao-sobre-comunidades-em-disputa-por-terra.htm


https://www.cnnbrasil.com.br/tecnologia/2021/05/04/descoberta-de-fossil-de-1-bilhao-de-anos-traz-nova-teoria-sobre-evolucao


https://www.theguardian.com/science/2021/apr/28/scientists-find-way-to-remove-polluting-microplastics-with-bacteria


https://ndmais.com.br/meio-ambiente/necrochorume-sc-nao-tem-estudos-sobre-impactos-da-alta-de-mortes-no-meio-ambiente/





4 visualizações